F1

Segurança nunca é demais


  • dezembro 25, 2015
  • mpmidia
Ampliar foto

Que viajar é uma delícia, todo mundo já sabe. Mas não é porque você está feliz da vida conhecendo lugares novos que deve abrir mão de certos cuidados relacionados a segurança. Infelizmente, pessoas mal intencionadas existem em todo o mundo e para que você não estrague esta experiência tão bacana com algo desagradável, é melhor ficar atento a certos detalhes.

viajar-sozinho-1414085108269_615x300

Para início de conversa, seja desconfiado. É claro que não é como se o perigo estivesse em cada esquina, mas é sempre bom prevenir-se. Evite dar detalhes sobre a sua vida e a sua viagem a desconhecidos. Mude de assunto, dê respostas evasivas e não pense duas vezes em inventar uma desculpa e ir embora se sentir-se incomodada. Viajar é uma ótima oportunidade para conhecer e falar com gente, mas é preciso bom senso na hora de interagir.

O que nos leva a segunda dica: cuidado com o que (e com quem) você sai. Quantas vezes você não ouviu isso dos seus pais? Ah, tão óbvio… Mas ainda assim, tem gente que não segue este precioso conselho e, na emoção de conhecer lugares e pessoas novas, acabam se metendo em verdadeiras furadas. Por isto:

– Não aceite bebidas abertas de estranhos ou bebidas que você não tenha acompanhado todo o processo de preparação até chegar a você.

– Dispense também aquelas que você largou na mesa para ir ao banheiro ou tirou os olhos de cima por alguns minutos.

– Evite também beber muito.

Por último, mas não menos importante: decore o número da polícia local. Assim como no Brasil, a maior parte dos países tem um número nacional para emergências. Decore ou coloque-o na agenda do celular e use sempre que sentir necessário. O mesmo cabe em relação à embaixada brasileira no país onde você se encontra. Saiba onde fica e tenha em mãos um número de contato. Eles podem te ajudar caso tenha problemas.

Por fim, aproveite a sua viagem! Existem muitas pessoas boas no mundo que irão sempre ajudá-los quando você precisar, mas é sempre bom ter consciência de que você está sozinho em um país desconhecido, ou seja, só pode contar com você mesmo. Então, não brinque com a sorte.